Microfone dinamico : O que é? Qual a hora certa de usá-lo? : Magroove Blog

Microfone dinamico : O que é? Qual a hora certa de usá-lo?

Julho 11, 2019 • 7 min de leitura

Uma coisa é certa: praticamente qualquer home studio tem pelo menos um desses… a não ser que seja de música eletrônica! O microfone dinamico (assim como qualquer outro microfone) é um transdutor. Isso significa que eles eles transformam um tipo de energia em outra. No caso, a vibração do ar (energia mecânica) em um sinal de áudio, que será mandado pelo cabo (energia elétrica).  Se você quer entender mais sobre ele e descobrir se é o que você precisa, continue lendo!

Resumo

No geral, microfones dinamicos tem as seguintes características:

  • Pouco Sensível
  • Resposta lenta a transientes
  • Não requer alimentação externa (phantom power, baterias 9v, fonte)
  • Muito resistente
  • Aguenta altíssimos níveis de pressão sonora

Por ser pouco sensível, microfones dinamicos precisam de mais energia para movimentar o diafragma. Isso faz deles uma boa escolha para sons com altos níveis de pressão. Microfonação de caixas de bateria ou de amplificadores de guitarra são exemplos de perfeitos usos de microfones dinamicos. Outro uso muito comum é com cantores em shows ao vivo, já que o volume no palco é muito alto.

Por ser menos sensível, ele pode precisar de mais ganho do pré-amplificador para atingir um bom nível de captação.

O Básico

A peça mais importante dos microfones dinamicos é o diafragma. Um diafragma nada mais é que uma fina e leve película. Esse diafragma está acoplado a uma bobina, que no caso do microfone é normalmente uma espiral de um único fio de cobre, muito fino e leve. Com o som, esse diafragma vibra, que por sua vez mexe a bobina. Por ser uma espiral, acaba existindo um buraco no centro dela. Nesse espaço, no centro dessa espiral, existe um imã. Mas esse imã é fixo à carcaça do microfone, ou seja, ele não é grudado na bobina e portanto não acompanha seu movimento ao captar som. É a presença desse imã permanente junto a essa bobina móvel vibrando que cria o sinal elétrico. Cada uma das pontas dessa bobina será ligada aos pinos do microfone, podendo variar se há algum circuito a mais no meio do caminho ou não.

Esse processo é o inverso do que um alto falante faz. O falante recebe um sinal elétrico e transforma-o em som. Dessa forma, assim como microfones dinamicos, também são considerados transdutores.

Modelos mais famosos de microfone dinamico

Listamos alguns dos mais famosos microfones dinamicos e suas utilizações mais clássicas:

  • Shure SM57 (Amplificadores de guitarra, caixa de bateria)
  • Shure SM58 (Voz em shows ao vivo)
  • Sennheiser MD421 (Tons de bateria)
  • Electrovoice RE-20 (Locução de rádio, broadcast)
  • Shure SM7

Essas aplicações são encontradas em estúdios de todas as categorias, do mais simples ao mais bem equipado, o que mostra que é uma escolha feita não pelo preço ou acessibilidade do microfone, mas sim que de fato o som produzido por eles é o som desejado.

Sobre os mais famosos

Shure SM57: Não estaria longe da verdade dizer que qualquer estúdio no mundo tem pelo menos um SM57 em sua lista. Muitos até preferem o som desse microfone em diferentes usos, onde outro tipo de microfone normalmente seria considerado uma melhor opção. É o queridinho para captação de amplificadores de guitarra e caixas de bateria.

Shure SM57 - Um dos microfones dinamicos mais usados do mercado

Shure SM57 – Um dos microfones dinamicos mais usados do mercado

Sennheiser MD421: Assim como o SM57, é muito versátil, sendo usado em vários instrumentos. Muito usado em tons de bateria. Existe uma peculiaridade nesse microfone que é de aparentar ser um microfone condensador, levando muitas pessoas a posicionar-lo de pé. Mas na verdade tem o eixo de captação igual os outros citados, ou seja, do lado oposto do conector.

Sennheiser MD421 - Excelente microfone para captação de bateria

Sennheiser MD421 – Excelente microfone para captação de bateria

Electrovoice RE-20: Um modelo único entre os dinamicos é o RE-20. Sua construção única permite uma grande redução do efeito proximidade. Um exemplo de efeito proximidade é quando, ao cantar ou falar perto do microfone, a voz ganha um grave ou um corpo a mais que não existe ao afastar-se. O RE-20 praticamente não tem esse efeito, ou seja, não importa se a pessoa fala perto ou longe do microfone, a voz estará com um uma equalização similar. Isso faz dele uma escolha bem popular para broadcast e gravação de voz em geral. É também uma escolha frequente de alguns vocalistas famosos, como Thom Yorke do Radiohead. É possível vê-lo usando em vários de seus shows em estúdio.

Electrovoice RE-20 - Excelente microfone dinamico para broadcast

Electrovoice RE-20 – Excelente microfone dinamico para broadcast

Categorias de microfone dinamico

Por padrão polar

Vamos lembrar quais são os tipos de padrão polar mais comuns:

  • Cardióide
  • Super Cardióide
  • Omnidirecional
  • Figura 8
  • Shotgun

A maioria dos dinâmicos por aí é Cardióide, ou seja, ele é um microfone feito para captar de um dos lados da cápsula. Todos os que listamos na lista do início são exemplos de microfone cardioide !

Existem alguns, também famosos, que são Super-cardióides. Falo principalmente do Shure Beta57A e do Beta58A (antigos Beta57 e Beta58). São a preferência de muitos para voz ao vivo, já que são ainda mais direcionais do que os cardióides. Na captação de bateria, podem ser úteis em algumas peças pois captam menos do que os cardióides nas laterais, tornando-nos úteis para evitar vazamentos de peças aos lados se bem posicionados.

Por tamanho de cápsula

E quais os tipos de tamanho de cápsula:

  • Pequena
  • Larga

Normalmente não nos referimos a microfones dinamicos pelo tamanho de cápsula, apesar de uma diferença de tamanho existir. Shure SM7 e Electro-Voice RE20 se auto-declaram de cápsula larga, mas na prática, não é isso que vai fazer a diferença na sua escolha ou no som do microfone. Tamanho de cápsula é uma classificação útil somente para microfones condensadores. Popularmente e mercadologicamente, não separamos dinâmicos pelo tamanho de cápsula. Sendo assim, a escolha de qual microfone dinamico usar se dá majoritariamente pela sua curva de resposta e pelo seu padrão polar.

Quando devo usar um microfone dinamico ?

Usos clássicos

Os usos mais comuns de microfones dinamicos são quando…

  • Quero direcionalidade, sem captar ruídos de fundo
  • Preciso de bastante volume sem dar microfonia
  • Minha fonte sonora tem muita pressão (volume)
  • É uma situação que preciso de equipamentos resistentes, à prova de queda (shows, palco)
  • Não é uma fonte sonora com detalhes delicados ou de baixo volume

O padrão cardioide e a baixa sensibilidade o torna ideal para shows. Isso é bom pois permite ter um nível de ganho muito mais alto antes e ocorrer feedback (microfonia) do que condensadores.

Ao mesmo tempo, são extremamente resistentes e não queimam ao receberem phantom power, ambas fraquezas encontradas num microfone de fita.

Por causa de sua resposta de frequência, eles são bons para uso em sons com ênfase nas médias, com algumas exceções para os graves. O tempo de resposta também faz com que eles sejam uma boa escolha para sons que têm muito corpo e pouca ênfase nos transientes. Esses precisam de resposta mais rápida para serem melhor captados.

Contra-Indicações de uso do microfone dinamico

Como ele não capta bem transientes e frequências agudas, isso faz com que ele não seja uma escola popular para a gravação de sons que precisam de maior definição e detalhe. Além disso, por ser pouco sensível, também ele não é prático bom para captação de sons sutis. Por esse mesmo motivo acaba por precisar de maior ganho, tendo assim maior risco de incisão de ruído na amplificação ou gravação, a depender do equipamento e do jeito em que o som é captado.

Conclusão

Em conclusão, o microfone dinamico é muito versátil e seu custo é mais baixo. Isso faz com que ele seja uma escolha comum para iniciantes. Ele pode ser usado para gravação em estúdio, shows, broadcast e palestras. O fato de ser resistente também faz dele uma boa compra para quem precisa transportar equipamentos com frequência.